| Página Inicial | O Site | Estatística | Contato Segunda, 22 de Janeiro de 2018
 
Menu
Cidade
Cultura
Educação
Esporte
Gastronomia
Geral
Nacional
Saúde
Segurança
Trãnsito
Transporte
 
 
Notícias > Cultura Inserida em 30/03/2016 - 11:49:18
Compartilhe Facebook
Comunidade participa de oficinas de artesanato no CSF do Jardim Novo Horizonte
Com linha e agulha na mão, a dona de casa Angela Maria Krambeck prende mais um pontinho azul na tela para formar a inicial de seu nome, com o cuidado de deixar o avesso bem-feito, como manda a professora de ponto cruz e agente de saúde da família
 
Site PML
 

Com linha e agulha na mão, a dona de casa Angela Maria Krambeck prende mais um pontinho azul na tela para formar a inicial de seu nome, com o cuidado de deixar o avesso bem-feito, como manda a professora de ponto cruz e agente de saúde da família, Marcelle Kerche. Angela participa das aulas desde o início em novembro do ano passado, período em que também aperfeiçoou suas habilidades em crochê, técnicas de pintura e decoração de garrafas com barbante. As aulas do Projeto Arteterapia desenvolvido pelo Centro de Saúde da Família (CSF) do Jardim Novo Horizonte são oferecidas às terças e quintas-feiras, das 14h às 16h, no hall da unidade. A participação é gratuita.

Voluntária no Nosso Lar Serviço de Assistência à Criança, Angela pretende produzir peças para os atendidos da unidade e embelezar a própria casa. “É bom para cabeça da gente aprender coisas novas e não ficar em casa sem fazer nada”, disse.

A aula de ponto cruz é uma das diversas atividades promovidas pela unidade de saúde com fins terapêuticos às terças e quintas-feiras, das 14 às 16 horas, no prédio do CSF, para pacientes, funcionários e moradores, que são avisados pelos agentes de saúde da família durante as visitas domiciliares e andanças pelos bairros atendidos.

Edilene Gomes Lima, agente de saúde e professora de crochê, mostra com orgulho as peças produzidas nos encontros, que receberam desde crianças de 10 anos até idosos com mais de 70. “Percebemos que muitas pessoas ficam ociosas grande parte do dia e sozinhas também, mas quando vem aqui se distrai, ri, conversa e saí mais feliz”, disse ela.

A psicóloga e coordenadora do projeto, Mayra Araújo explicou que os encontros são momentos de 'terapia em grupo' nos quais os participantes trocam experiências, conversam e se divertem saindo da rotina, o que combate o estresse e a ansiedade. “Também é um momento em que é possível observar as pessoas e ouvi-las”, diz Mayra.

As equipes de saúde fazem reuniões semanais para trocar informações e indicar pessoas da comunidade que poderiam obter benefícios participando das atividades.

As peças confeccionadas pelos alunos da arte terapia serão expostas num bazar no final do ano e os recursos arrecadados serão revertidos em materiais para outras atividades, mas ver seu trabalho ser admirado é uma das alegrias dos participantes, como dona Geralda de Sousa, 61, que prendia os primeiros pontinhos na terça-feira, 29 de março.

“Eu ainda estou aprendendo, mas está ótimo porque aprende alguma coisa”, declara ela sem tirar a atenção da tela.

A autônoma Josinete Maria de Oliveira, 43, disse que gosta de trabalhos manuais por isso aproveitou para aprender crochê, já que tinha conhecimentos básicos da técnica. “É uma terapia e um tempo que uso somente para mim”, declara ela.

Não são apenas os moradores da comunidade que se beneficiam da atividade, a agente comunitária de saúde Rafaela Dalosto começou o crochê por brincadeira, mas acabou gostando e já produziu várias peças. “A primeira peça que terminei foi uma fraldinha. Agora já fiz tapetes e jogo de banheiro”, afirma.

A superação de Rafaela foi um jogo de banheiro em barbante que fez seguindo um vídeo postado no YouTube. “Dá prazer e alegria, além de ser uma superação. Eu quero fazer um jogo com diversas peças”, diz a agente mostrando a foto no celular.

A professora Edilene passa motivação para suas alunas durante todo o tempo, mas conta que fica alegre com o progresso ou quando uma aluna termina a primeira peça. “A Rafaela nem sabia pegar na agulha e agora já está fazendo coisas sozinha. Isso me deixa feliz.”

O que é?

A arteterapia é um processo terapêutico que entende a arte como uma representação simbólica da vida intrapsíquica individual, que também funciona recurso mediador da interação com as pessoas. Ou seja, a arte ajuda no autoconhecimento e nosso equilíbrio emocional.

 
Fonte: Prefeitura Municipal de Limeira
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


Copyright © 2003 - 2018 - Limeira Online - O Site da Cidade!!! - Todos os direitos reservados - All rights reserved

 

Desenvolvimento